Ads 468x60px

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Arquivo Linda: Rugido do Leão - Família Zoë

Comunidade cristã solta a voz em maratona de shows evangélicos
Diogo Braz

"Quem canta reza duas vezes", já diz o velho ditado, e nunca é demais lembrar que o homem, desde as mais priscas eras, vem tentando estreitar o seu elo com o espiritual. Essa busca, geralmente, traz um aperfeiçoamento interno, mais equilíbrio. As pessoas que estão nessa busca não são poucas e comumente estão unidas em torno de igrejas, e foi uma dessas comunidades, a Família Zoë, que organizou, em 07 de junho de 2012, o evento Rugido do Leão. O evento consistiu em mais de 12 horas de atividades de louvor, com muita música, palestras, oração e pregação.

Música e louvor - Foto de Diogo Braz

A Comunidade Cristã Família Zoë está localizada no bairro do Canaã, em Maceió, e lá vem desenvolvendo um trabalho de evangelização dos moradores. Todo ano, os membros da Zoë realizam o Rugido do Leão, um momento de encontro e concentração desses fiéis em torno da causa espiritual. 
Um ponto interessante do encontro é que diversas palestras tiveram temas relacionados aos problemas sociais como a violência, as drogas, educação e saúde. De acordo com um dos líderes da Zoë, Glauco Moreira Leitão, a igreja está integrada com a comunidade e deve pensar sobre questões desse tipo, orientando os fiéis a seguirem seus caminhos com ética e respeito pelo próximo. 
O público presente se envolveu com todas as atividades do dia, orando e cantando com fervor: interação bonita de se ver. 

Interação da comunidade - Foto de Diogo Braz


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Arquivo Linda: De irmão para irmão

Rap para todos
Diogo Braz

O Espaço Cultural Linda Mascarenhas foi um local importante para o Rap e o Hip hop em 2012. Tendo desenvolvido diversos eventos do gênero, o Espaço Linda abriu espaço para essa famosa manifestação cultural periférica chegasse ao centro, abarcando ainda mais público. Uma das ações de Rap que aconteceram no Linda no ano passado, vale lembrar o show "De irmão para irmão", em 06 de outubro, que trouxe mais de 10 horas de batidas, scratches e rimas para uma plateia lotada e entusiasmada. 
Diversos MCs conhecidos da cena Rap subiram ao palco do Linda, cantando a realidade da cidade que não aparecem nos jornais e contrastam com os anúncios publicitários em alta temporada de turismo. Os temas dos discursos revezavam entre conscientização política, o submundo do crime, uso de drogas e violência: Música para fazer a cabeça. 
Confira algumas fotos do evento:






sábado, 22 de dezembro de 2012

Arquivo Linda: Alagoas em cena


Em cena, o Teatro alagoano
Diogo Braz

O Espaço Cultural Linda Mascarenhas foi um dos palcos do projeto Alagoas em Cena em 2012, apresentando duas peças da longa lista de espetáculos que foram encenados em diversos pontos da cidade. “As muitas últimas coisas”, da Cia Ganymedes, foi apresentada no hall do Linda no dia 22 de novembro; e o público pode conferir “Marina – Uma história de cordel”, da Cia. Teatro da Meia-Noite, no dia 25 de novembro; ambos com entrada gratuita.

“As muitas últimas coisas”, da Cia Ganymedes

Utilizando-se do hall como espaço alternativo para apresentar uma peça experimental, a Cia Ganymedes trabalhou com as sensações e sentimentos despertados na platéia para construir os sentidos de “As muitas últimas coisas”, que traz quatro personagens que vivem confinadas, distantes do mundo exterior. Ora loucos, ora apenas solitários, elas se encontram Isoladas, agarrando-se ao que têm, mesmo que tudo o que lhes tenha sobrado seja apenas fruto de sua imaginação. Vale destacar o trabalho dos atores Nilton Resende, Igor Farias e Igor de Araújo, dirigidos criativamente por Fátima Farias. A direção musical da peça fica por conta do talentoso Marcelo Marques.

Ganymedes em cena - Foto de Diogo Braz

O público compareceu e mergulhou no universo proposto pela Cia Ganymedes, numa noite que resultou em elogios e diversas leituras interessantes sobre a solidão, a loucura e a sanidade.

“Marina – Uma história de cordel”, da Cia. Teatro da Meia-Noite

Eles têm o domínio do palco e sabem fazer comédia com elementos da cultura popular nordestina. A Cia Teatro da Meia-Noite, sob a direção de Wanescka Pimentel, apresentou ao público a tragicomédia Marina – uma história de cordel e agradou os presentes. Os atores Naéliton Santos, Rilton Costa, Bethe Miranda e Marcos Wanderlei arrancaram gargalhadas do público ao apresentar a trágica história de um amor proibido, no melhor tom dos cordelistas nordestinos.

Comédia, tragédia e romance - Foto de Diogo Braz

Após a peça, um bate-papo entre a companhia e a plateia abordou todo o processo de concepção, montagem e apresentação do espetáculo: uma verdadeira aula.

Alagoas em Cena

O projeto apresentou 14 espetáculos de companhias e grupos de teatro alagoanos, buscando criar um panorama amplo e atual da produção do teatro no estado. Além das apresentações, aconteceram também oficinas e debates destinados aos grupos participantes.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Arquivo Linda: Naara Normande - Lançamento do Livro Entre uma ostra e outra


Talento para contar histórias

Diogo Braz

A jornalista Naara Normande levou a sério o seu ofício de contar histórias e lançou seu primeiro livro no Espaço Cultural Linda Mascarenhas em 9 de outubro de 2012. Com a presença de diversos nomes do jornalismo alagoano, do empreendedorismo e do mercado editorial, a noite de lançamento de “Entre uma ostra e outra: histórias de vida dos ostreicultores de Alagoas” foi um sucesso. A produção da autora soube criar um clima relaxante para o público que prestigiou a estreia de Naara no mercado literário, com projeções de imagens das comunidades ostreicultoras, música e cocktail, com momento para autógrafos e um bate-papo sobre o processo de feitura do livro.

A autora autografando a sua obra debutante - Foto de Diogo Braz

Visivelmente emocionada, a talentosa jovem ouviu palavras elogiosas de representantes da Edufal e do Sebrae e falou sobre a experiência de retratar a vida de diversas comunidade de ostreicultores alagoanos, transformando um pouco a realidade sofrida das pessoas que vivem literalmente à margem da sociedade.
Vale conferir a entrevista concedida pela autora a este Blog AQUI e o texto de divulgação do lançamento AQUI. Confira mais fotos da noite.

Noite repleta de convidados - Foto de Diogo Braz
Livro fez sucesso entre os presentes - Foto de Diogo Braz

Autora fala sobre a obra - Foto de Diogo Braz
Mais autógrafos - Foto de Diogo Braz

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Luar e Serena - Apresentação de Natal

O natal de um casal apaixonado do Sertão
Cia Simsenhô apresenta peça Luar e Serena

Diogo Braz

A Companhia teatral Simsenhô subiu ao palco do Espaço Cultural Linda Mascarenhas na última segunda para mais uma apresentação da peça Luar e Serena: O casamento. O grupo aproveitou a ocasião das comemorações de fim de ano para festejar com o público a peça, que esteve em temporada no Espaço Cultural Linda Mascarenhas este ano (confira a cobertura em Rock-me e Luar e Serena).
Com elenco modificado e cenário diferente, o texto divertiu o público.

Comédia sertaneja - Foto de Diogo Braz

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Ateliê SESC de Cinema - Exibição dos curtas

Curtam os curtas

Filmes do 3º Ateliê SESC de Cinema são lançados no Linda Mascarenhas

Diogo Braz

A sala do teatro vira cinema, jovens alunos do Cepa viram cineastas, vídeo-realizadores: tudo faz parte da magia da sétima arte. Noite de 13 de dezembro, no Espaço Cultural Linda Mascarenhas, cerimônia de lançamento dos curtas produzidos durante a terceira edição do Ateliê SESC de Cinema, projeto do SESC com a parceria do Instituto Zumbi dos Palmares (IZP), que gerou como produto final os filmes produzidos por jovens estudantes da rede pública estadual de ensino em 2012. Os filmes falavam do CEPA com uma linguagem muito interessante, trazendo para as telas a história do Núcleo de Expressões Artísticas, mais conhecido como Escolinha de Artes do Cepa; do observatório astronômico; e sobre os jovens que praticam atividades corporais no espaço do Cepa, como o Break dance e o Parkour. Além disso, foi exibido um making of do processo de feitura dos filmes. Os jovens realizadores estavam radiantes na noite de estreia. O público presente aplaudiu e festejou os filmes, que também foram exibidos no último sábado, no Teatro Jofre Soares, no SESC-Centro, e agora seguem para uma nova etapa do projeto: o envio para festivais de cinema. Fique de olho nesses futuros cineastas alagoanos!

Público antes da sessão: ansiedade - Foto de Diogo Braz

Olhos fixos na tela - Foto de Diogo Braz



Realidade ou fantasia: a magia do cinema - Foto de Diogo Braz


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

I Encontro de bandas alagoanas

Desenhando a cena musical de uma cidade
Músicos se reúnem no Espaço Linda Mascarenhas para debater o mercado de música em Maceió

Diogo Braz

Num futuro próximo, o dia 11 de dezembro de 2012 pode ser considerado uma data importante para a música de Alagoas. Neste dia foi realizado o primeiro Encontro de bandas alagoanas, no teatro do Espaço Cultural Linda Mascarenhas. Um espaço necessário e urgente de debates a respeito do mercado de música no berço da república, espaço para o fervilhar de ideias e o nascimento de projetos. 

Unindo forças - Foto de Diogo Braz

O estranho fato de que um debate tão urgente como este não acontecer com frequência em Alagoas, apesar de toda a rica carga cultural de Alagoas e da proximidade entre os artistas da terra, fez da noite uma grande oportunidade de falar a respeito de quase tudo que envolve o cenário artístico. Foi um debate plural, com momentos de diagnosticar as dificuldades e pontos fortes, e também de discutir estratégias para criar realmente uma cena. 

Participação em massa - Foto de Diogo Braz

Participaram do encontro representantes de diversas vertentes da música, principalmente alternativa, gente jovem e gente um pouco mais rodada, que enxerga com esperança o momento de unir forças entre si para propor uma revolução de costumes, com a esperança de viver numa sociedade onde a música e os artistas locais tenham mais oportunidades de mostrar a sua arte, a sua produção.
Os debates continuam acontecendo na Internet, tendo como plataforma um grupo de discussão do Facebook "Bandas AL". Participe você também, o grupo é aberto aos interessados. 

Desenhando a cena - Foto de Diogo Braz



quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Divulgação: Projeto Sonho

Projeto Sonho apresenta novo repertório no Espaço Linda Mascarenhas
Release

Após um ano longe dos palcos, o Projeto Sonho volta ao Teatro Linda Mascarenhas com um show especial no próximo dia 27 de dezembro. A banda encerra o ciclo de “Estação”, primeiro EP da banda lançado no início do ano, e apresenta novas composições que devem estar presentes no próximo trabalho da banda. A apresentação tem início às 20h e os ingressos custam R$ 10.
O Projeto Sonho iniciou suas atividades em julho de 2008, a partir da música “Chuva”, primeiro tema composto pelo grupo. A proposta era fazer música instrumental com apenas guitarras e bateria, mas com o passar do tempo, outros elementos foram incorporados pelo grupo para a criação de uma sonoridade que mescla sonoridades do pós-rock com ritmos da música brasileira.
No início de 2012, o quinteto, formado por Gabriel Cerqueira, Hugo Lyra, Victor Caesar, Ítalo Bruno e Victor de Almeida, lançou o primeiro trabalho, o EP “Estação”, através do selo virtual paulista Sinewave e do alagoano Popfuzz Records. Com cinco músicas, que retratavam a primeira fase da banda, o EP teve uma boa recepção e foi reproduzido em rádios nos Estados Unidos e Grécia.
No final do ano, o grupo foi responsável pelas trilhas sonoras de dois curtas-metragens alagoanos “Farpa”, de Henrique Oliveira, e “12:40”, de Dário Junior. A experiência com o audiovisual foi o ponto de partida para a composição das novas músicas propondo melodias marcantes e linhas rítmicas mais complexas.
Projeto Sonho em ação no Linda Mascarenhas - Foto e Diogo Braz

Serviço:
Projeto Sonho no Teatro Linda Mascarenhas
Dia 27 de dezembro
A partir das 20h
Ingressos a R$ 10

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Ateliê Sesc de Cinema


Sucesso garantido de público e de crítica
Ateliê Sesc de Cinema lança os curtas de sua 3ª edição no Linda Mascarenhas 

Diogo Braz

O SESC Alagoas e o Instituto Zumbi dos Palmares desenvolveram uma parceria fértil com o projeto Ateliê Sesc de Cinema. A proposta é muito simples: instigar jovens estudantes da rede pública de ensino a mergulharem na magia da sétima arte, através de oficinas de audiovisual, que abordassem a gramática do audiovisual, a linguagem cinematográfica em si, roteiro, direção, edição e etc. Assim, o cinema, além de poder ser visto como uma opção de carreira, uma paixão, uma expressão artística, pode servir como uma ferramenta pedagógica para mostrar uma nova maneira de enxergar o mundo aos jovens participantes.
As oficinas aconteceram no Espaço Cultural Linda Mascarenhas e foram destaque aqui no Blog (Sétima arte de educar). Nesta quinta será a hora de conferir o que esses jovens produziram durante as oficinas. Muito talento será mostrado, sucesso garantido para o Ateliê Sesc de Cinema, frutos colhidos de uma parceria fértil. 


Cinema na teoria - Foto de Diogo Braz

Cinema na prática - Foto de Diogo Braz

O lançamento dos curtas realizados através da 3a edição do Ateliê SESC de Cinema acontecerá em duas sessões com entrada franca, às 19hs e às 20:30hs, no dia 13 de dezembro de 2012. Fique de olho nesses futuros cineastas!

Serviço

Lançamento dos curtas realizados através da 3a edição do Ateliê SESC de Cinema

Dia 13 de dezembro de 2012
19h - 1a sessão

20h30 - 2a sessão
Local: Teatro Linda Mascarenhas I Av. Fernandes Lima, 1047. Farol. Maceió-AL
Entrada Gratuita
Informações: 3326-3133 ou www.sescalagoas.com.br


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Divulgação: Encontro de Bandas Alagoanas

Criando cenas
Artistas se reúnem no Linda Mascarenhas para debater o mercado de música em Alagoas

Diogo Braz

Do it yourself: A expressão é grafada em inglês e remete ao movimento Punk, mas está sendo apoderada pelos artistas alagoanos numa tentativa de construção de um mercado de música no estado. Acompanhando a maré atual de organização da sociedade civil em busca de novas perspectivas culturais para o local onde vivem (Vide "A Maceió que queremos"), os músicos - estejam eles em bandas ou em carreiras solo -  decidiram arregaçar as mangas para ganhar um lugar ao sol, ou melhor: aos holofotes. O primeiro passo para isso é a reunião aberta que acontece amanhã (terça-feira,11/12/2012), às 19 horas, no Espaço Cultural Linda Mascarenhas. Entre as pautas para discussão estão organização de um calendário de eventos, ferramentas de divulgação e a construção de uma cadeia produtiva para a música local.


Toda essa movimentação teve início em novembro, durante as atividades do Festival Maionese 2012, organizado pelo Coletivo Popfuzz. Na ocasião, um debate entre a classe artística com o músico goianiense Edimar Filho, da banda de Rock Black Drawing Chalks, deu o gás necessário para se voltar a discutir a movimentação cultural principalmente de Maceió, capital alagoana.
Formou-se um grupo de discussão na Internet, usando o Facebook como plataforma. Nesse grupo surgiram as discussões e demandas que serão discutidas em reunião hoje, a partir das 19 horas, no Espaço Cultural Linda Mascarenhas. A reunião tem entrada franca e é aberta a quem tiver o interesse em participar.






quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A Maceió que queremos

Encontro debate políticas públicas para a cultura em Maceió
Diogo Braz


Artistas, pensadores, realizadores, agitadores culturais: a sociedade civil se organizando esteve presente no Espaço Cultural Linda Mascarenhas, em 28 de novembro, para a reunião "A Maceió que queremos". Com o caráter de reunião aberta, o encontro teve participantes de diversos segmentos, mas com um único intuito: formar articulações para compor o cenário do Movimento Social das Culturas, tal qual vem acontecendo em todo o país. Seguindo essa tendência nacional, os atores sociais interessados em agir a favor de uma melhora do panorama artístico-cultural do local onde vivem se reuniram para pensar estratégias para se chegar ao modelo de cidade ideal, pelo menos no setor cultural, debatendo formas de diálogo com o poder público, maior participação da sociedade civil em espaços de construção de políticas públicas, como o Conselho Municipal de Políticas Culturais, além de fazer um breve diagnóstico de problemas enfrentados por artistas, espaços públicos e etc. 

Debate repleto de participação - Foto de Pablo Perez

A reunião conseguiu abarcar representantes da cultura popular (com representantes da Liga dos Bois e da Associação de Folguedos Populares de Alagoas), do Movimento Estudantil, do cineclubismo, música, teatro, literatura e audiovisual.
"A movimentação continua, e o grupo segue se reunindo para consolidar o movimento e aprovar o documento que reunirá as pautas prioritárias. A "Maceió que Queremos" segue em construção", esclarece o texto de cobertura do evento feito pelo Coletivo Popfuzz.

Diversos segmentos em uma só linguagem - Foto de Pablo Perez

Confira a cobertura fotográfica do encontro:http://bit.ly/ShBQwN
Participe do grupo “A Maceió que queremos” do Facebook:http://on.fb.me/ShBUg6

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Arquivo Linda: Marcelo Guimarães

O caminho é para frente
Marcelo Guimarães faz show empolgante no Linda Mascarenhas

Diogo Braz

Dentre as várias funções da música está a celebração. Como diz um velho ditado, quem canta reza duas vezes, e a música, quando instrumento de celebração de uma espiritualidade, carrega em si um tipo de energia contagiante, que consegue dar uma conotação espiritualista a canções seculares. Tudo parece depender da intenção, e a intenção do jovem Marcelo Guimarães, ao subir no palco do Espaço Cultural Linda Mascarenhas, na noite de 10 de novembro, parecia ser justamente esta: celebrar a sua espiritualidade através da música. 

Clima de positividade - Foto de Diogo Braz

Com o show "Não posso mais voltar atrás", Marcelo apontou a bússola de sua intenção musical para desbravar horizontes para cima, positivos; um repertório justamente "pra frente", no dialéto dos músicos de ofício. Membro de movimento cristão da Igreja Católica, Marcelo montou seu set list com hits radiofônicos, canções cristãs e composições próprias. O público, que lotou o Espaço Cultural Linda Mascarenhas, parecia estar envolto nesse clima de positividade e respondeu bem à atuação dos jovens músicos: Uma noite  de verdadeira festa. 


Linda Mascarenhas lotado para celebrar a música - Foto de Diogo Braz
O baixista João Paulo Lamenha comentou sobre esse clima de positividade. "É um trabalho muito legal, que passa uma mensagem boa pro público. Você vê as pessoas com um sorriso no rosto, todo mundo sente o clima do projeto", avalia.
Para a biomédica Juliana Alvarez, que aplaudiu a apresentação, os meninos levaram o clima dos movimentos cristãos para o palco. "Foi um ótimo show, o Marcelo levou pro palco muito do clima de celebração dos encontros do TLC, adorei. Um programa para toda a família", elogia.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Divulgação: A Maceió que queremos

A cultura que queremos
Agentes culturais se reúnem no Linda Mascarenhas para debater planejamento para a capital alagoana

Diogo Braz, com release

Os sonhos ganham mais força na medida em que mudam de plano: do plano das ideias para o papel, do papel para o debate e do debate para a ação. Quando esses desejos são pensados em conjunto, a chance de que virem realidade é bem maior. Pensando nisso, acontecerá amanhã (28 de novembro), às 19 horas, no Espaço Cultural Linda Mascarenhas, um encontro aberto entre agentes culturais e pessoas interessadas em uma cidade com mais cultura. O encontro está sendo organizado por um grupo de pessoas da sociedade civil que tem se agrupado através do Facebook, plataforma gratuita usada pela maioria das pessoas com acesso á Internet hoje em dia. 

Debate sobre o Memorial Teotônio Vilela : semente do movimento - Foto de Vanessa Mota

Todos devem ter em sua cabeça um ideal de cidade, geralmente melhor que a realidade experimentada pela maioria da sociedade. Tirar esse ideal de uma cidade melhor do plano das ideias e tentar pô-lo em prática é um exercício árduo e quase impossível quando feito no singular. A primeira sugestão que você poderá encontrar nos mais variados manuais de auto-gestão, se é que eles existem, é tentar encontrar pessoas na sociedade com ideais semelhantes aos seus e unir forças para que o seu desejo de viver numa cidade, estado ou país melhor não fique largado nas listas de promessas de políticos em época de campanha.
Foi assim que, em 07 de novembro de 2012, um grupo de pessoas se reuniu sobre o memorial Teotônio Vilela, na Pajuçara, para discutir estratégias para o desenvolvimento cultural local. A reunião foi uma atividade proposta pelo Coletivo Popfuzz e aconteceu dentro da programação do Festival Maionese 2012, com direito à presença do convidado Otto Ramos, membro do Conselho de Cultura do estado do Amapá, que veio falar sobre as experiências de debates e ações culturais naquele estado.

Otto Ramos em visita a Maceió para debater cultura - Foto de  Vanessa Mota

O encontro de amanhã, no Espaço Cultural Linda Mascarenhas é uma extensão natural desse debate e tem como Norte uma ideia simples: reunir os diversos agentes e movimentos culturais e sociais de Maceió para debater as politicas culturais da nossa cidade e encaminhar ações práticas de mudança. 
As pautas do encontro serão diversas e conduzirão ao mesmo fim: um movimento social das culturas conectando os mais diversos grupos e pessoas que possam construir e colaborar para uma cidade mais próxima do que se deseja e planeja! Traga a sua pauta, a sua ideia e - principalmente - a sua disposição!


Serviço:
O que? “A Maceió que queremos!”
Quando? 28/11/2012
Horário: 19hs
Onde? Espaço Linda Mascarenhas (IZP), Av. Fernandes Lima nº 1047 - Farol 
Informações? 9620-1215 [Tim] | 8709-9684 [Oi]

Confirme presença no evento do Facebook:

Acompanhe as discussões no grupo:

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Arquivo Linda: Roberta Aureliano e Ronaldo Aureliano


O Projeto Linda de Música e Artes Visuais apresentará em dezembro a sua última edição de 2012, com o show da banda alagoana Eek e a exposição In-Divi-Duo, do artista plástico Alan Lima. Você lembra da mais recente edição do projeto com a cantora e atriz Roberta Aureliano e com a exposição em homenagem a Ronaldo Aureliano? Confira abaixo tudo o que rolou e se prepare para a próxima edição do projeto.

Talentosos Aurelianos
Edição do Projeto Linda destaca o talento de pai e filha

Diogo Braz

Cientistas e curiosos buscam saber a origem do talento e até elaboram as suas teorias a respeito do assunto. Muitas delas envolvem o campo da genética e evocam a hereditariedade para explicar que a aptidão para desempenhar bem determinadas tarefas é passada entre as gerações que carregam um mesmo DNA. Quem esteve presente no Espaço Linda Mascarenhas em 21 de setembro para acompanhar mais uma edição do Projeto Linda de Música e Artes Visuais ganhou pistas de que esses cientistas estão certos: A cantora e atriz Roberta Aureliano fez um show repleto de influências herdadas de seu pai, o saudoso poeta e escultor Ronaldo Aureliano, que foi homenageado com a exposição “Casa de mestre”, com peças do acervo da família Aureliano. Um espetáculo para encher os olhos e os ouvidos com o talento passado de pai para filha.

Zabumbando - Foto de Diogo Braz

O mestre Ronaldo Aureliano era dono de um estilo autêntico de fazer arte. Ao transformar sucata em peças de arte que retratam a cultura e o cotidiano regional nordestino, Ronaldo conquistou seu lugar no meio artístico alagoano, respeitado pela originalidade com que transformou peças de metal retiradas do lixo em imagens de sua infância e vida no interior do estado. São peças simples, assim como a vida que ele fez questão de imortalizar em suas esculturas, mas peças extremamente representativas da cultura popular alagoana, em especial de Viçosa, município que foi berço do artista. O artista plástico Denis Matos esteve presente, prestigiando as obras de Ronaldo Aureliano. “Essa exposição veio em tempo, porque era necessário mostrar esse acervo do Aureliano, uma pessoa que divulgou muito Alagoas – inclusive em prédios públicos, como a nossa estação ferroviária. São peças fantásticas, em que ele retratou o folclore alagoano através da reciclagem, se destacando como um dos pioneiros da reciclagem artística do ferro”, elogiou. O ator Alderi Souza também elogiou o trabalho de Ronaldo Aureliano. “Eu fiquei encantado com a forma com que ele construía as suas esculturas: trabalhar o ferro, dar esse formato, essa leveza... É um trabalho que realmente me encantou”, revelou. O artista plástico Jerônimo Miranda também fez coro aos elogios à exposição. “A exposição foi uma bela iniciativa. O Ronaldo não merece ser esquecido, pois ele é um grande talento de Alagoas. Além de mestre, ele é um heroi: ele morreu para salvar alunos para quem ele tentava mostrar que a arte tinha valor, que o povo de uma cidade tem de aprender a valorizar e gostar da arte feita na cidade”, analisou Jerônimo.

Figuras do Folclore - Foto de Diogo Braz

Roberta Aureliano também guarda em sua bússola artística uma forte ligação com suas origens. Acompanhada da banda Flor de Maracujá, a cantora literalmente levou o público para dentro do Espaço Linda Mascarenhas embalando sons e sentimentos a respeito de Viçosa e de uma cultura regional alagoana, mais ligada aos folguedos populares. Na apresentação, houve direito a representações do Guerreiro, Pastoril, Bumba-meu-boi e o Sertão alagoano, assim como a zabumba e o xote.

Arrastando a multidão - Foto de Diogo Braz

O timbre da voz de Roberta carrega em si a verdade da cantora, é uma voz bonita, forte, que tem orgulho do seu sotaque e que aproxima o canto das lavadeiras das vozes da MPB; aquela música feita com o propósito de soar assim, tipicamente nordestina. Roberta tinha uma missão de apresentar as suas influências ao público, e fez um bom trabalho. “Eu achei um momento muito especial, de poder expressar todo o meu carinho e dedicação a um trabalho de pesquisa da música popular alagoana: poder mostrar ao público as composições de mestres de nossa cultura, que devem ser cantadas e ouvidas a qualquer momento. Pra mim, foi especial porque muitos ouvidos puderam assimilar essa mensagem”, avaliou. “Eu fiquei surpresa. Achei que o público recebeu bem o trabalho, estava todo mundo prestando atenção ao que estava sendo mostrado. A mensagem foi passada e o público a recebeu bem. Eu fico grata a todos que compareceram. Parabéns ao Espaço Linda, por estar formando essa plateia maravilhosa”, elogiou Roberta. O diretor musical e integrante da banda Flor de Maracujá, Jaques Setton, também ficou satisfeito com a recepção do público. “A recepção foi ótima, maravilhosa. Nós sempre ficamos em busca de um acorde mais lapidado, de uma harmonia mais trabalhada, e o público respondeu a isso muito bem, e pra gente é um motivo de alegria. A música falou, a arte falou”, avalia o violonista.
Sobre a exposição em homenagem ao pai, a cantora revelou estar emocionada. “É difícil de falar, porque aqui está a minha casa, a casa do mestre Ronaldo que é o meu pai, onde você entra e sente a falta do mestre. Ao mesmo tempo em que vem essa alegria imensa dentro de mim, ao saber que a alma do mestre está viva em cada obra aqui exposta, vem também a tristeza de saber da ausência dele como matéria. Mas a emoção é grande e eu agradeço ao IZP pela oportunidade de trazer a memória do meu pai através deste exposição”, agradece.

Emoção - Foto de Diogo Braz

O show foi carregado de emoção. A lembrança e saudade do pai, falecido há três anos, se fazem presente no trabalho de Roberta, deixando a bonita marca do amor que uma filha sente por um pai. Foi uma noite de homenagem a Ronaldo Aureliano, e o público saiu do show com o sentimento de ter sido presenteado pelo talento da família Aureliano. “O show foi muito bom. Essa concepção da música regional com o trabalho do mestre Aureliano foi muito interessante, é um resgate da música alagoana. Nessa geração a gente tem perdido um pouco essa marca da música que retrata a cultura de Alagoas, então foi um show importante, que fez a gente reviver um pouco da história de um grande mestre de Alagoas através da musicalidade. A arte agradece”, elogiou o comerciante Aldo Gomes. Para a musicista Lucy Muritiba, a valorização da cultura regioal também foi um ponto positivo do show. “Eu achei um show maravilhoso. Já conhecia a Roberta, mas nunca tinha assistido um show dela por completo. Gostei muito do contexto que ela traz, dessa questão da valorização regional mesmo e eu acho que combina com ela, com a personalidade dela, e a banda Flor de Maracujá também foi ótima, foi incrível, adorei”, elogiou. O programador musical da Rádio Educativa FM, Givaldo Kleber compareceu e também aplaudiu o talento de Roberta. “Foi um show muito autêntico, ela é muito preparada. Já está pronta para a estrada, já estamos aguardando ansiosamente pelo disco”, avaliou.

Contato com o público - Foto de Diogo Braz

domingo, 25 de novembro de 2012

Projeto Linda de Música e Artes Visuais Eek e Alan Lima


Projeto Linda de Música e Artes Visuais fecha 2012 com Eek e Alan Lima
Assessoria

 O Espaço Cultural Linda Mascarenhas, chega à última edição de 2012 do já tradicional Projeto Linda de Música e Artes Visuais trazendo o show musical de Eek e a abertura da exposição “In-Divi-Duo”, de Alan Lima. Esta edição do projeto tem data marcada para sábado, 01 de dezembro, às 20 horas, com entrada franca.

Eek
Aquela velha história de amigos que se juntam para formar uma banda continua a ser contada com uma simplicidade que afasta os clichês. Com a Eek não é diferente: Formada por Christophe Lima (bateria), Diogo Braz (voz e guitarra), Leo Tarja-preta Almeida (baixo) e Wagner Sampaio (guitarra e voz), a banda é simplesmente um grupo de amigos fazendo a música na qual acredita.

Eek - Foto de Wilma Arruda
A Eek vem mantendo uma agenda frequente de apresentações. Já levou sua música para palcos do Nordeste, participando de eventos importantes do cenário musical independente, como os festivais Grito Rock 2011 (Fora do Eixo), Maionese, Rock Cordel Maceió (BNB), Festival da Canção Independente (BNB), Femusesc (Sesc); e projetos de destaque como o Teatro Deodoro é o Maior Barato (Secult-AL), Palco Aberto, Maceió Viva Cultura (Prefeitura de Maceió), Música em Pauta (Sesc-AL), Noites Fora do Eixo (Fora do Eixo). Além disso, a banda organizou sete edições do festival InTR3Sessões, em parceria com o SESI-AL.

Rock sem rótulos - Foto de Eek na prática

Recentemente, a Eek participou do disco Pelos Trópicos, da cantora paulista Andréia Dias, na faixa A vida é bela. O disco, gravado em diversas cidades do Brasil, contou com a participação de vários artistas independentes e tem lançamento previsto para o início de 2013.
Depois de ter esgotado a tiragem inicial de 1.500 cópias de seu disco de estreia em pouco menos de um ano de vendas em shows, a banda se prepara para gravar seu segundo disco. No show que a Eek apresentará no Projeto Linda de Música e Artes Visuais vai mostrar algumas músicas que devem entrar nesse próximo disco.

 Alan Lima
Alan lima é um artista autodidata e versátil. A paixão pelo desenho fez com que estudasse edificações e desenho técnico. Nesse período de formação profissional, conhece a técnica do airbrushing nas artes plásticas. Com pesquisas e estudos práticos adquiriu a habilidade do grafitti e usou esses elementos para criar o seu estilo para compor suas obras de pintura. Alan não se limita às telas, sua arte ganha mais vida em paredes, fachadas e no ambiente urbano, podendo ser conferidas em diversas paisagens de Maceió.

Alan Lima - Foto de divulgação

Na adolescência, Alan manteve contato permanente com desenhos e referências culturais, envolvendo-se dentro de um contexto de participação de ações, que proporcionaram uma alfabetização cultural a serviço da pintura. Criou o primeiro atellier estúdio arte grafitti de Maceió, que funcionou de 2002 à 2004,  no centro da cidade, e posteriormente no bairro do Pontal da Barra, envolvendo-se com a comunidade que respira arte e que o ajudou a adquirir reconhecimento e experiências.

Alagoas em cores - Foto de divulgação

Além de ter participado de diversas mostras e projetos culturais, Alan também realizou oficinas de desenho e grafitti, em encontros universitários, em capacitações de professores da rede pública de ensino e outros.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Divulgação: Espaço Linda no Alagoas em Cena 2012

Espaço Linda Mascarenhas apresentará dois espetáculos do Alagoas em Cena 2012
Cia. Ganymedes e Cia Teatro da Meia-Noite estarão no palco do Linda Mascarenhas

Diogo Braz

As cortinas do teatro alagoano estão abertas, está acontecendo a primeira Mostra de Teatro Alagoano - Alagoas em Cena 2012. Desde o dia 12 de novembro estão sendo apresentados espetáculos em diversos palcos da cidade de Maceió, com direito a uma etapa com apresentações no interior do estado. Entre esses polos de apresentação está o Espaço Cultural Linda Mascarenhas, que vai apresentar em seu teatro os espetáculos "As muitas últimas coisas", da Cia. Ganymedes, às 19:30hs do dia 22 de novembro, e "Marina - Uma história de cordel", da Cia. Teatro da Meia-Noite, às 19:30hs do dia 25 de novembro, ambos com entrada gratuita.
O projeto pretende apresentar uma visão ampla e atual da produção do teatro no estado e conta com a participação de 14 espetáculos de companhias e grupos de teatro alagoanos selecionados. Além das apresentações, acontecem também oficinas e debates destinados aos grupos participantes.



As muitas últimas coisas
Em “As muitas últimas coisas” somos apresentados a quatro personagens que vivem confinadas, distantes do mundo exterior. Ora loucos, ora apenas solitários. Acende ou apaga a luz? Questionam as personagens, num movimento que vai da razão à desrazão. Vai queimar a luz. Essa é a sentença que se impõe. Isoladas, e com as forças que lhes restam, elas se agarram febrilmente ao que têm, mesmo que tudo o que lhes tenha sobrado seja apenas fruto de sua imaginação.

Marina - Uma história de cordel

"Uma história vou contar. Prestem muita atenção! 
Marina era uma moça muito rica e educada,
O pai dela era um coronel de uma família ilustrada.
Mas ela amou Alonso, um pobre que não possuía nada."
O verso fala o mote do espetáculo, que fala do amor proibido de dois jovens e suas aventuras para poder concretizá-lo. 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Divulgação: Ricardo Santana

Um banquinho, um violão...
Ricardo Santana apresenta clássicos da Bossa Nova em show no Linda Mascarenhas

Diogo Braz

A música não tem fronteiras, mesmo que haja certa influência geográfica no fazer música, algo no sotaque, alguma coisa do ritmo da cidade onde se vive impregnada na música que se faz. A Bossa Nova do maceioense Ricardo Santana é um exemplo disso: há um quê de Maceió na forma de executar os acordes dissonantes de clássicos cariocas de Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Chico Buarque, Edu Lobo, Newton Mendonça, Carlos Lyra, Aloysio de Oliveira, Baden Powell, Dolores Duran, Ronaldo Bôscoli, Marcos Valle, Paulo Sérgio Valle e tantos outros que cantaram sobre as praias de Copacabana e Ipanema, a boemia da Lapa e sobre as mulheres do Rio de Janeiro. Mesmo afastada geograficamente das areias de Pajuçara, a Bossa Nova proposta por Ricardo Santana, em tom de homenagem a esses grandes compositores, encontra eco na vida cultural da capital alagoana.
Pensando nesse público admirador da boa Bossa Nova, Ricardo vai apresentar um seleto repertório em homenagem aos grandes nome do estilo em um show carregado de emoção e coração, no dia 17 de novembro, às 20 horas, no Espaço Cultural Linda Mascarenhas.
Ingressos e mais informações, pelo telefone 8829-5290

No melhor estilo da Bossa Nova - Foto de divulgação